Curiosity utiliza seu laser em Marte pela primeira vez

O rover Curiosity disparou pela primeira vez seu laser em Marte. Apelidada de “Coronation”, uma rocha do tamanho de uma mão fechada, recebeu 30 vezes o feixe de laser por cerca de 10 segundos.

A energia emitida pelo laser oferece por pulso mais de um milhão de watts por cerca de um bilionésimo de segundo. Isso faz com que os átomos da rocha sejam excitados causando uma espécie de plasma ionizado brilhante. Dessa forma, o espectro de luz emitido é analisado atrvés dos três espectrômetros presentes no módulo para obter informações sobre quais os elementos que estão no alvo.

“É surpreendente que os dados são ainda melhores dos obtidos durantes os testes na Terra, em relação sinal-ruído”, disse Sylvestre Maurice, Vice-cientista do projeto ChemCam do Institut de Recherche en Astrophysique et Planetologie (IRAP) em Toulouse, França.

Segundo a Nasa, a ChemCam foi desenvolvido, construído e testado pelo Departamento dos EUA de Los Energia Alamos National Laboratory, em parceria com cientistas e engenheiros financiado pela Agência Francesa espaço nacional, Centre National d’Etudes Spatiales (CNES) e agência de pesquisa, Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS).

Mais informações sobre ChemCam está disponível em http://www.msl-chemcam.com.

Fonte: www.nasa.gov

Emulador de Raspberry Pi

Muitos ainda não receberam o Raspberry Pi comprado fora do país. Dessa forma essa dica pode diminuir um pouco a ansiedade de testar como é ligá-lo e usá-lo através do emulador. A solução utiliza o Qemu para emular o processador ARM1176JZFS utilizado no pequeno RaspPi.

Para utilizá-lo siga os três passos abaixo:

1) Baixe o emulador disponível no endereço: http://sourceforge.net/projects/rpiqemuwindows/ (505 MB);

2) Descompacte o conteúdo baixado em uma pasta a sua escolha;

3) Execute o arquivo “run “;

E pronto! O sistema irá inicar em alguns segundos e a primeira tela do RaspPi estará disponível.

Primeiro boot com Raspberry Pi

Após “perder” um dia por falta de um cartão SD com capacidade superior a 2 GB e uma fonte de alimentação que utilize o padrão micro-USB, consegui ligar o Raspberry Pi pela primeira vez.

A fonte que comprei aparentemente não está fornecendo a corrente necessária para alimentar meu teclado USB. A alternativa foi utilizar uma antiga fonte de celular LG (5.1V 700 mAh), com conector do tipo USB (fêmea) e conectar utilizando o cabo de dados/energia do meu Kindle Touch.

Outro problema encontrado foi a televisão utilizada não reconhecer o vídeo do RasPi via HDMI. Mas logo a solução surgiu bastando apenas selecionar o “input” antes de ligar o RasPi. Acredite que isso não é tão simples quanto parece. Essa televisão só permite que o “input” seja selecionado caso algum dispositivo esteja conectado.

Resolvido todas as pendências, o RasPi ligou e surpreendeu:

A resposta dos comandos é bastante ágil, mesmo para seu hardware limitado.

Os próximos passos é fazer com que ele faça a interface com o Arduino.

Fiquem ligados.

Até mais.

Como transmitir dados sem fio com Arduino

Uma forma barata e relativamente simples de transmitir informações de um local para outro sem fio utilizando o Arduino é através do “433M Wireless Transmitter Module + Receiver Module”. Este componente de baixo custo – pode ser comprado em média por $ 3,50 – possui capacidade de transmissão de dados, segundo alguns vendedores de até 200 metros caso utilize uma antena externa acoplada ao módulo.

Nos testes realizados em laboratório, esse valor ficou próximo de 5 metros com obstáculos (paredes, vidros, etc). De qualquer forma ainda é uma alternativa bastante interessante para transmissão de dados em pequenos projetos, protótipos e no nosso 1º Desafio RoverDuino.

Continuar lendo

Unboxing do Raspberry Pi e primeiras impressões

Conforme prometido ontem  recebi o Raspberry Pi. A compra foi feita através do site Farnell Newark. Após a confirmação, foram 3 dias úteis para entrega do produto.

Sendo bem direto: o produto demonstra boa qualidade, e o que mais chama a atenção é seu tamanho reduzido. Ele mede 85.60mm x 53.98mm x 17mm e na palma da mão você consegue perceber melhor. Ele é praticamente um pouco maior que o Arduino Uno.

Como é considerado de baixo custo (35 dólares lá fora), o Raspberry Pi não acompanha nada! Na caixa apenas um pequeno folheto com informações de segurança e o o próprio aparelho. Todos os acessórios necessários: cabo hdmi, cartão SD, fonte de energia, nada disso é incluso no pacote.

O ponto negativo no produto, na minha opinião, é o conector de energia. O padrão utilizado é o micro-usb. Essa escolha dificulta a utilização de pilhas e outras fontes de energia para alimentá-lo.

Em breve mais informações sobre o Raspberry Pi + Arduino serão comentadas aqui.

Até mais!

Chegará hoje o Raspberry Pi

Com muita alegria, hoje irá chegar o Raspberry Pi. Ele será peça fundamental no projeto do HixRover. Toda a comunicação e controle do “dispositivo C” será controlado por ele. Em breve colocarei o “unboxing” e vídeo mostrando o seu funcionamento.

Enquanto ele não chega, recomendo a leitura do FAQ disponível aqui: http://www.raspberrypi.org/faqs

HixRover v0.4

Release Notes – versão 0.4

* Preparação para movimento dos 2 motores;

* Leitura de temperatura;

* Cálculo da distância frontal e bloqueio do movimento em caso de provável colisão;

Código-fonte

int motor1Pin1 = 2; //Motor esquerdo
int motor1Pin2 = 3; //Motor esquerdo
int motor2Pin1 = 4; //Motor direito
int motor2Pin2 = 5; //Motor direito

Continuar lendo

Como ligar um Motor de Passo em 3 passos!

Utilizando a dica de um dos participantes do Desafio, abaixo segue um mini-tutorial para utilizar o motor de passo em 3 passos:

1) Ligar o motor na placa controladora;

 

2) Alimentar o motor com 5V e ligar os 4 pinos para controle. Como exemplo, ele está utilizando os pinos digitais 10,11,12 e 13;

3) Fazer o upload do código abaixo:

int motorPin1 = 13;
int motorPin2 = 12;
int motorPin3 = 11;
int motorPin4 = 10;
int delayTime = 50;

void setup() {
pinMode(motorPin1, OUTPUT);
pinMode(motorPin2, OUTPUT);
pinMode(motorPin3, OUTPUT);
pinMode(motorPin4, OUTPUT);
}

void loop() {
digitalWrite(motorPin1, HIGH);
digitalWrite(motorPin2, LOW);
digitalWrite(motorPin3, LOW);
digitalWrite(motorPin4, LOW);
delay(delayTime);
digitalWrite(motorPin1, LOW);
digitalWrite(motorPin2, HIGH);
digitalWrite(motorPin3, LOW);
digitalWrite(motorPin4, LOW);
delay(delayTime);
digitalWrite(motorPin1, LOW);
digitalWrite(motorPin2, LOW);
digitalWrite(motorPin3, HIGH);
digitalWrite(motorPin4, LOW);
delay(delayTime);
digitalWrite(motorPin1, LOW);
digitalWrite(motorPin2, LOW);
digitalWrite(motorPin3, LOW);
digitalWrite(motorPin4, HIGH);
delay(delayTime);
}

E pronto! Para ajustar o RPM do motor basta alterar o valor da variável “delayTime”. Quanto menor o tempo, mais rápido o motor irá girar.

13 novos projetos e contanto … [Atualizado 6x]

Até o momento temos 13 projetos cadastrados no 1º Desafio Roverduino.

  • MeproinoRover – Izaias Cabral
  • Lunokhod (Луноход) – Artenilton Silva
  • Nemesis – Luan Melo
  • Tankduino – Luis Mauro
  • Pipow Craft – Felipe Cardoso
  • Mayhem – Rafael Aceno
  • WallEduino – Rodrigo Guidotti
  • MetalGear – Márcio Dantas
  • Air Wick Barco – Webert Oliveira
  • FSRover – Edeilson Santos
  • Beholduino – Angelo Cnop
  • ROBO DD32 – Daniel Cruz
  • HixRover – Henrique Ribeiro

E aí? Qual é o nome do seu projeto? Se quiser participar ainda dá tempo. Cadastre seu projeto clicando aqui.

O desafio promete ser no mínimo interessante!